Descupinização

Sakura Dedetizadora utiliza o processo para a descupinização e controle de cupins subterrâneos, cupins de solo e cupins de madeira seca.

Embora não seja considerada uma espécie de cupim, mais um inseto que efetua ataques em madeiramentos, é a broca que também é combatida utilizando os mesmos procedimentos de trabalho. Para o combate de cupins e brocas, alem de produtos e equipamentos adequados, são utilizadas técnicas diferenciadas e bastante critério na execução dos tratamentos.

O fator principal para um trabalho de descupinização bem sucedido e eficaz, está na vistoria das áreas atacadas e locais que são propícios a manifestações destas pragas.

Em função disso este trabalho é desenvolvido por analistas técnicos e engenheiros que avaliam a estrutura a ser imunizada para a definição da estratégia de controle que podem envolver os madeiramentos, dutos elétricos, caixões perdidos, solo, paredes, etc. Além do tratamento convencional utilizamos também o Sistema de Iscas com Inibidor de Crescimento para eliminação e controle de cupins subterrâneos. O sistema é composto por estações aéreas utilizadas para tratamentos internos e estações de solo para tratamentos externos.

descupinização
descupinização

Barreira química

Instalação de um sistema de drenagem com reabastecimento e monitoramento periódico para uma proteção permanente.

O uso de barreira química para proteção da estrutura e tratamento de todo o madeiramento fixo e rede elétrica. Nesses procedimentos á opção de inseticidas líquido ou em pó. As técnicas utilizadas são: injeção, infiltração, pulverização, encharcamento e polvilhamento, sempre adequadas a cada situação.

Quando possível, realizamos a limpeza técnica, que remove por completo ou parte da colônia infestante. Entre em contato e agende uma visita técnica para a sua descupinização.

Cupim de solo / parede

Esses cupins são popularmente conhecidos como “cupins de solo” ou “cupins de parede”. No ambiente urbano, a espécie que causa mais danos ao homem é a Coptotermes gestroi, também tratada por Coptotermes havilandi por outros autores. Essa espécie é originária da Ásia e foi introduzida no Brasil nas décadas de 20 e 30, provavelmente através da chegada de cargas contaminadas aos portos brasileiros ou por meio de infestações nos próprios navios que aportavam em nosso litoral.

Os cupins operários de Coptotermes gestroi são os indivíduos mais numerosos da colônia e podem viver até 5 anos. Esses indivíduos apresentam coloração creme e são maiores que os soldados, que, por sua vez, atingem aproximadamente 5 mm de comprimento. Os cupins soldados dessa espécie são caracterizados por suas mandíbulas de pontas finas e recurvadas. Eles possuem coloração alaranjada e são bastante agressivos. Quando ameaçados, expelem uma secreção esbranquiçada a partir de uma glândula da cabeça.

A rainha pode chegar a 2 cm de comprimento e possui o abdômen exageradamente grande, devido ao desenvolvimento do aparelho reprodutor. Ela pode viver até 15 anos e quando morre é substituída por outra reprodutora derivada de uma ninfa. Assim, uma mesma colônia pode permanecer ativa por muito tempo. As colônias de Coptotermes gestroi geralmente são enormes, podendo abrigar até um milhão de indivíduos.

Os ninhos de cupins podem ocorrer em paredes de construção, sem contato direto com o solo, ou podem ser subterrâneos. Eles são formados por uma mistura de fezes, saliva, solo e partículas de madeira.

Danos causados por cupins subterrâneos

Esses cupins merecem bastante atenção, uma vez que infestam madeiras e derivados de celulose, como papel e papelão. Eles atacam paredes e pisos, podendo danificar tomadas, interruptores. Os ninhos são construídos em meio ao reboco das paredes e tijolos e seus túneis podem acompanhar pequenas reentrâncias e até mesmo conduítes por onde passam as fiações elétrica e telefônica.

Esses cupins subterrâneos são disseminados para outros lugares por meio de transporte de peças contaminadas ou através de revoadas que foram novos reis e rainhas aptos a desenvolver uma nova colônia.

Identificação de um foco de cupins subterrâneos

Para se identificar um foco de cupins subterrâneos, deve-se procurar indícios como:

• Túneis de terra, presentes nas paredes das construções;
• Restos de solo e fezes nas peças de madeira infestadas;
• Presença de asas de reprodutores alados;
• Presença de túneis em árvores infestadas em locais próximo à construção;
• Verificação de locais propícios, como vãos estruturais da construção, paredes duplas ou lajes duplas.